Arquivo | janeiro, 2013

Start: 1º dia

21 jan

Hoje comecei definitivamente a fazer alguma coisa, infelizmente por motivos financeiros, tive que adiar o inicio da dieta Dukan, pois, como vocês devem saber as primeiras fases consistem basicamente em comer carnes, como não é um alimento tão barato para se consumir em grandes quantidades, por diversos dias, minhas condições me impediram de iniciar a dieta esse mês. Porém, independente disso, comecei a praticar exercícios, pensei: “Assim, quando começar a dieta, vou estar preparada e mais habituada com atividades físicas”.

Em conversa com uma amiga, formada em educação física, personal trainer e literalmente rata de academia, ela acabou me recomendando um termogênico, suplemento alimentar a base de cafeína, chama-se Oxylin Pro, que dizem que ajuda na perda de peso, quando combinado com exercícios físicos. Achei que não custava experimentar, embora tivesse medo de algum efeito colateral, que normalmente remédios para emagrecer têm. Essa noite não foi muito boa para mim, não dormi direito, acordei angustiada, meio depressiva, triste, mas, tomei um café da manhã reforçado (dizem que não se deve tomar o suplemento com o estomago vazio), esperei uns vinte minutos e fui caminhar na esteira.

Posso dizer que algum efeito o tal suplemento fez, pois, fazia mais de um ano que eu não subia numa esteira, não sabia o que era entrar numa academia e nem fazer caminhada, tudo isso juntando com uma noite mal dormida e nem um pouco de vontade. Mesmo assim, quando comecei a caminhar parece que minhas pernas fizeram o trabalho sem eu ter que me esforçar muito, comecei em ritmo leve, achei que não ia conseguir mais do que quinze minutos, mas, consegui acelerar o passo, perto da meia hora minhas juntas doíam e pensei em parar, fui diminuindo o ritmo novamente e continuei caminhando, aumentei de novo, diminui, mas no final consegui caminhar sessenta e cinco minutos, suei horrores, mas não saí de lá com aquele cansaço horroroso, ofegante, nada disso, até caminharia mais, mas como meu tênis não é dos melhores e acho que também por causa do peso, as plantas dos meus pés começaram a assar, pareciam que estavam queimando, mas fora isso, fiquei bem surpresa de conseguir começar nesse ritmo e caminhar todo esse tempo.

Por enquanto não tive grandes efeitos do suplemento, achei que ficaria ligadona, mas não, apenas não estou com aquele sono terrível de uma noite mal dormida, cheguei da academia e comi um pedaço de melancia, isso, umas 13h30, agora, 15h mesmo sem fome alguma acabei almoçando, estava começando a sentir um pouco de fraqueza e tremedeira, achei melhor não esperar ficar com fome para comer, não queria passar mal. Comi normalmente, sem seguir nenhuma dieta, mas uma quantidade bem menor do que o normal, já que não estava com fome. Estou sentindo também minha boca um pouco seca, mas como estou acostumada a ter uma garrafa de água o dia todo ao meu lado e beber muito durante o dia, isso não está sendo um grande problema.

Esse foi o primeiro dia com o Oxylin Pro, espero continuar com esse ritmo para os exercícios e não sofrer com nenhum efeito colateral. Qualquer novidade informarei. E mesmo correndo o risco de me repetir, procurarei passar por aqui todos os dias, já está sendo muito bom pra mim escrever sobre isso. Então, até mais! o/

A ideia inicial

21 jan

Pode parecer meio clichê dizer que decidi começar uma dieta nova no inicio do ano novo. Eu sei por minha longa experiência nessa árdua tarefa de perder peso, que esse otimismo e esse espírito de renovação de inicio de ano vão embora rapidinho e levam junto toda a nossa motivação e vontade de emagrecer.

Não posso garantir que dessa vez será diferente, mas também usando da minha experiência, sei que estou sentindo de uma maneira diferente. Pra começar a narrar à situação atual, tenho 26 anos de idade, por volta de 1,70cm de altura e cheguei ao auge do meu peso de todas as fases da vida, 120 kg. Tenho uma vida obviamente sedentária e um pequeno histórico de problemas de saúde, nada grave, mas umas coisinhas chatas, a maioria delas se deram (eu sei) pelo meu sobrepeso.

A partir dos três anos de idade, me tornei uma criança gordinha e então, a vida inteira fui assim. Na adolescência, a fase mais terrível para quem vive acima do peso, tentei um monte de coisas para emagrecer, até dietas malucas e perigosas, principalmente para uma menina em fase de crescimento. Passando dos 14 anos, acabei procurando um endocrinologista que logo tratou de me receitar uma fórmula para emagrecer, apesar de todos os sintomas imagináveis que tive, como boca extremamente seca, as tonturas e a tremedeira que eu sentia, aguentava, e cheguei a perder um peso razoável na época, mas não sei dizer agora em números quanto foi. Depois recuperei algum peso de novo, mas até pouco tempo atrás esse peso se manteve estável, vez ou outra eu tentava entrar em alguma dieta, malhar, mas logo desistia. Então teve uma fase que o peso que eu tinha estagnou e já não me incomodava tanto ao ponto de largar meus “prazeres” para correr loucamente atrás do peso ideal, isso aconteceu porque mudei de ambiente, alguns problemas pelos quais passei na minha adolescência se resolveram, minha vida pessoal caminhava melhor, então, eu me sentia bem, mesmo acima do peso.

Pouco depois disso comecei a trabalhar num lugar horrível, sofria muita pressão e isso acabou me trazendo diversos problemas de saúde, tanto físicos, quanto emocionais. Demorei anos para me tratar, fiquei com gastrite que logo começou a se agravar, a pronto de chegar num momento onde eu vivia a base de omeprazol, pastilhas de magnésia para a azia e gelo. As poucas coisas que eu conseguia comer me davam uma queimação terrível ou um enjoo tremendo, como a água dava uma sensação de alivio desses sintomas, acabava comendo formas e mais formas de gelo por dia. Isso acabou me fazendo emagrecer, pelo menos 15kg, mas a que preço? Bem, comecei a fazer tratamento médico, isso melhorando e fui voltando ao normal (tinham coisas que eu não conseguia comer há mais de um ano, então já viram a vontade louca, né) e minha saúde foi se restabelecendo, fui recuperando também todo aquele peso perdido. Na metade do ano de 2012 fui à outra endocrinologista, já tinha ganho 6 kg do peso que tinha no final de 2011, ela não me passou nenhum medicamento, somente alguns exames, que diagnosticaram o triglicérides alto e um pouco de gordura no fígado, e me mandou buscar uma nutricionista.

O ultimo semestre do ano passado foi bastante complicado pra mim, outras coisas acabaram se tornando prioridade na minha vida, trouxeram preocupações, pressões, stress, e além de deixar meu tratamento de lado, atingi níveis recordes do meu peso, pois, nesses seis meses, consegui engordar cerca de 16 kg.  Claro que comecei a me sentir super mal, as roupas parecem uma camisa de força, e com o verão, tudo parece ficar pior, o suor faz com que tudo pareça ainda mais apertado, não tenho vontade de sair de casa e quando saio na rua, parece que todos olham como se eu fosse um ET, ou que todos te julgam por você ser gorda, até na própria família, é impossível não ficar depressiva.

Porém, decidi que não ia ficar só me lamentando com isso, para a minha própria sorte, sou uma pessoa otimista, sempre encontro um jeito de ser feliz e acho que as coisas sempre podem melhorar. Então, ao invés de acordar um dia decidida a emagrecer e simplesmente começar a dieta, dessa vez eu fiz diferente, venho me preparando desde novembro passado, preparação psicológica mesmo, como toda (ou a maioria) das pessoas gordas, eu gosto muito de comer uma bobagem, salgadinhos, refrigerantes, doces e fast food, são corriqueiros na minha alimentação, todos sabemos que não faz bem e toda a história, mas o prazer de comer sempre foi maior do que a vontade de emagrecer, até agora. Por isso, desde que decidi que em 2013 começaria a saga em busca do peso ideal, permiti ao meu psicológico saciar todas as vontades que tinha, comi mesmo tudo o que tinha vontade, uma grande farra alimentar, mas a cada mordida eu meio que treinava meu cérebro, dizendo pra mim mesma: “Aproveita, porque você vai demorar muito para comer isso de novo” ou “Quando eu começar a dieta definitiva, esse prazer que estou sentindo será saciado com exercícios”. Pode parecer bobo, mas, foi um modo que encontrei de barrar essa necessidade de cair em tentação quando a dieta estiver em andamento.

Comecei então, a buscar dietas de perda de peso rápida, para me motivar, pois sei que se demorar muito para perder alguns quilos, acabo mesmo desistindo. Além de buscar uma dieta que não restringisse o que eu sinto mais falta nas refeições, carne. Tomei conhecimento então do método Dukan, além das matérias superficiais que lia na internet, fui buscar entrevistas com médico e a opinião de quem já tinha utilizado. Encontrei diversos blogs, alguns favoráveis, outros reclamando que não deu certo. Mesmo assim, comprei o livro e lendo os primeiros capítulos tomei consciência de que, como qualquer dieta ou reeducação alimentar demanda sacrifícios, força de vontade, privações e creio que por ter dado certo para umas pessoas e para outras não, o método depende de cada um, das necessidades, das vontades, mas uma verdade é única, sem esforço, não há resultados. Para mim, nesse momento, creio que o método Dukan parece o ideal, nesse momento preciso ver, sentir a perda desse peso que ganhei, portanto, procuro uma dieta de resultados rápidos, mas que não deixe o organismo deficiente.

Bem, me resta agora começar a dieta, como vi que blogs ajudam muito as pessoas em fase de emagrecimento, acabei criando um, ainda gosto de escrever, então, uni o útil ao agradável. Admito que nunca tive força de vontade, mas, estou bem determinada agora e creio que narrar as etapas, dificuldades e conquistas aqui, mesmo que ninguém leia, será de grande ajuda. Então é isso, rumo a uma (totalmente e completamente) nova etapa da minha vida, sucesso para mim e para todos que tentam essa infinita busca pelo peso ideal, pela nossa saúde, principalmente!

John-Bender-300x286

First Step!

%d blogueiros gostam disto: